30 de dezembro de 2008

Cordão umbilical

N/M Baía dos Anjos

A familia Parece, os seus iates e navios a motor, ao longo do século XX e deste inicio de século XXI, têm sido uma espécie de cordão umbilical entre Santa Maria e São Miguel. Na verdade, mesmo na proclamada época de Oiro de Snata Maria, da aviação civil, das escalas de grandes figuras, foram o Santo António e o Senhora da Guia que garantiram o abastecimento de bens essenciais ao comércio e indústria marienses.
Hoje, como no passado, a Transportes Marítimos Parece Machado Lda, empresa familiar com ascendentes em Vila Franca do Campo na Ilha de São Miguel, utilizando o seu já velhinho mas bastante eficiente N/M Baía dos Anjos (na foto a zarpar de Vila do Porto) continua a garantir o abastecimento da Ilha amarela.
Por força do mau tempo, o “Baía dos Anjos” não efectuou a viagem costumeira de ontem, segunda-feira, entre as duas Ilhas do Grupo Oriental dos Açores. Resultado. Não há ovos e gaz à venda na Ilha. Isso no século XXI e com duas escalas mensais, supostamente directas, entre a Ilha e a ex capital do Império, Lisboa.
Aqui não há responsabilidades do sistema de transportes marítimos, nem dos políticos intervencionistas. Foi mesmo falta de programação dos comerciantes, é que não estão habituados a que os “pareces” falhem. Falam, falam, mas estão sempre fiados na virgem de Vila Franca do Campo. É caso para citar esse grande crânio da cultura micaelense que dava pelo nome de Mendonça dos Cinemas. “Tai asno, tai asno mas amanhã tas cá caido”.

2 comentários:

Libório disse...

Em primeiro lugar, caro Nuno (um dos nomes mais antigos de Portugal), parabéns pelo seu empenho neste blog que já visito há algum tempo embora nunca comentando.

Fá-lo agora pois a ferida que toca, é daquelas que "parece" não sarar lá para os lados da ilha do sol. De facto, já senti isto, há uns anos, e pensei que esta desorientação tivesse passado pelo acumular de experiencias dos comerciantes locais, não houve – deixo apenas este exemplo para não ser muito maçador – PÃO. Ora, micaelense sem pão...

Ao que "parece", e infelizmente para o desenvolvimento local, a desorientação ainda não acabou, por muito pouco que possa parecer, estes pequenos desaires influenciam negativamente o comercio local.

Nas visitas posteriores fi-las com stock às costas, não fosse o diabo tecê-las e passar fome novamente.

Grande abraço e um excelente 2009!

Adelina Braga disse...

mas entao..o Santo SOLMAR?

Tanta esperança e no fim faltou ovos????

isso no fundo é tudo igual e milagres so mesmo em Fatima

mas os pareces nao estao por conta do SOLAMAR?? pelo menos o frio está.

Os comerciantes Marinesescom todosos seus defeitos , e mais um, veem-se agora a huchar no dedo pq a prioridade principal e o solmar....deixando mal quem lhes encheu a barriga durantes decadas...
é o pago...

por isso....transinsular uma vez por semana resolvia tudo isso.... e muito mais barato


Haja saude..que deus e grande

Arquivo do blogue