4 de dezembro de 2008

4 Dezembro 1980

Adelino Amaro da Costa
Foto retirada do blogue Câmara dos Comuns
Se não tivesse existido um certo 4 de Dezembro, provávelmente, Portugal seria um outro País. Ou melhor, talvez Portugal tivesse tido a ténue hipótese de vir a ser um País.

7 comentários:

mpires disse...

Se D. sebastião não tivesse desaparecido no nevoeiro, também.
Se D. Carlos I não tivesse sido assassinado, também.
Se Salazer não tivesse caído da cadeira, também.
Se Nuno Barata Almeida e Sousa dixasse de escrever, nem se sentia a diferença.

Papio cynocephalus disse...

não interessava à burguesia urbana de lisboa que houvesse um estado liberal e livre...por isso aconteceu o que aconteceu

Luís Filipe Silva Melo disse...

É cada explicação!...Papio...

Que eu saiba o piloto tambem faleceu!

Passei por aqui.saudades, talvez...

Rui Coutinho disse...

Nuno
Achas que estes eram os únicos homens válidos à data?
Apesar de ser no campo das hipóteses, não deixa de ser uma visão redutora.
Eu prefiro continuar a acreditar nas transformações sociais. Senão vierem de dentro, pelo menos, haja abertura para que venham de qualquer outro lugar.
Um abraço

Edgardo disse...

Santo Amaro era santo muito recorrido a na Idade Média... Prto do meu ninho primordial há ermida a Santo Amaro.
Oremos a Santo Amaro, a Santo António a Beato Nuno de Santa Maria...
O nosso Portugal, ainda mais se falhando as tais bhipóteses referidas, irá precisar de mais e mais fé. Penso que não será por acaso... Todo o falhanço de Portugal insere.se e conduz-nos a um plano divino, a uma benção escondida na medida em que Portugal é um pequeno país destinado a ser grande para e em Deus!
Quando, após a Restauração, a coroa real foi depositada aos pés de Nossa Senhora e, por tal oferecimento e dedicatória, os reis deixaram de usar tal símbolo, tal significou e significará apenas que abençoado é o pequeno país que é para Deus. Portugal tem como rainha Nossa Senhora - não nos esqueçamos!

(Querem coisa maior do que esta?!)

Edgardo disse...

Adelino Amaro da Costa era um homem bom. Poderia até parecer ser coisa banal... Mas, hoje mais do que nunca, onde encontramos quais adelinos na Política... A Democracia tornou-se merda por causa disso -os manipuladores dos votos viciaram-se e viciaram os votantes... Como sair deste embróglio... O futuro de Portugal não vá senão com um grande corrente de fé, um rejuvenescimento cristão!

Nuno Barata disse...

Caro Rui Coutinho

A verdade, essa é inegável, Portugal viveu , nos últimos 30 anos de conturbado crescimento económico, sucessivo e progressivo empobrecimento das famílias mais pobres e da chamada classe média, tem um sistema financeiro falido, uma economia subsidio dependente, problemas sociais agravados pelo desemprego e pelo crime organizado, corrupção e trafico de influências são palavras que estão na boca do Povo, um sistema judicial que apresar de lento é eficaz mas está desacreditado, uma crise de valores que começa nas familiar passa para as escolas e acaba no shopping, em, suma, como dizia o João Nuno e muitíssimo bem há dias, o sistema está a cair de podre e os seus actores continuam a fingir que não passa nada.
Deixa-me, pelo menos, acreditar que pessoas como Adelino Amaro da Costa fizeram falta à política portuguesa.

Arquivo do blogue