3 de maio de 2011

Sócrates e o FMI.

A dada altura até pensei que Portugal ia emprestar dinheiro ao FMI.

16 comentários:

Sam disse...

Ou o vice-versa...

Anónimo disse...

Provavelmente o nosso primeiro ministro tem razão.

A crise está na cabeça aloucada e ambiciosa de certa oposição.

O PSD FOI DESMASCARADO! disse...

Hoje o Sócrates cilindrou politicamente todas as oposições, principalmente o PSD.

O Dr. Catroga, um «cavalo de troia» de Belém, não conseguiu levar avante nenhumas das suas «propostas» junto da «troika».

Afinal de contas as medidas negociadas entre a Troika (FMI,FEEF e BCE) são praticamente o antigo PEC IV, com a vantagem de haver financiamento a taxa de juros mais compatíveis com a actual estagnação económica.

O Passos Coelho, talvez por imposição cavaquista, precipitou a queda do governo ao não assinar o PEC IV.

E agora, vão assinar o acordo, ou o PSD vai derrubar a Troika e pôr o FMI no tribunal?

Anónimo disse...

Tiro no porta aviões!

Ouvindo Socrates, o tal para quem a crise começou há meia dúzia de semanas, até parece que Portuagal é que vai emprestar dinheiro.

E a crise começou por culpa do PSD, do PP, do Bloco de Esquerda, do PC, dos Verdes e, da crise internacional- todos juntos para virar o grande PS que tão bem tem governado o país.

Depois de ter dito que não governava com o FMI, com os juros a atingirem os 11%, eis que o nosso primeiro reclama uma grande vitória.Foi um acôrdo milagroso e milagres só mesmo o PS os faz.

E vamos permitir ser governados por este delírio?

O país atingiu tal desnorte que até há quem negue que haja crise.

Alguém arrigimentou alguma instituição de saúde?!

Crise?Qual Crise? disse...

Enquanto eu vir, como vi ontem, um primeiro-ministro e um esforçado ministro das finanças a negociar no duro com a troika, não acredito que haja ou possa haver crise.

Crise?

Crise foi no tempo da bancarrota Balsemão, depois dos governos ruinosos da AD, em que o nosso amigo Mário Soares teve que nos tirar o 13º mês e impôr um imposto extraordinário s/ o lucro das empresas, pois nessa altura o FMI não emprestava o guito sem haver contrapartidas sérias.

Crise?

Vão mas é chatear o Catroga que ficou trokeimado pelo caminho!

Anónimo disse...

Esta canalha anda a brincar com os portugueses.
Não era imperioso eleger Cavaco *a primeira volta para não criar instabilidade politica?
Não era a instabilidade politica essencial à nossa economia como o pão para a boca?

Anónimo disse...

Crise, qual crise?

Depois de 16 anos de bagunça governança, é com lunáticos destes que esperam que o PS ganhe.

O tal que não governava se viesse o FMI ( agora até diz que ele é que consegiu ukm bom acôrdo).

O tal que já ía, só neste ano, no 2º superavit.

O tal para quem é preciso garantir o estado social, tendo sido e continuando a ser quem procedeu aos maiores cortes no estado social.

O tal para quem a palavra de honra é lei.

O tal para quem a culpa da crise é do PP, do PC, do PSD, do Bloco de Esquerda , dos Verdes e da crise internacional- só falta evocar contra as " forças ocurtas" que deram cabo da boa governação que vinha levando até ao último mês.

Crise, qual crise para os socialistas?

Alexandre Pascoal disse...

:-)

Anónimo disse...

PS segue no seu delírio.Para além de agora vir a dizer que ele, sózinho mais os camaradas, conseguiram um bom acordo, a sua estratégia eleitoral assente em duas linhas, repetidas até à exaustão, à mistura com pequenos acontecimentos, cujas formigas transforma em elefantes.

Assenta:

1-PS salva estado social.

2-A culpa da crise é dos partidos da oposição e da crise internacional.

O programa eleitoral apresenta as mesmas medidas e os mesmos vícios do desastre dos últimos 6 anos de governação socialista, salvo as que estão no acordo.

Por cá, os candidatos socialistas arregimentam-se no mesmo e que os mesmos têm defendido os Açores- vá-se lá saber se os cortes nas transferências são uma grande defesa ou um grande frango!

Tambem assentam na ideia de que os mesmos deputados têm-se distinguido pela confiança que merecem e pela luta por um estado contra a corrupção e por uma justiça exemplar.

Se não é delírio, parece.O pior é que éste delírio surreal levou Portugal a uma dívida pública mais elevada dos últimos 150 anos.

Para os socialistas, a gestão socialista está boa e recomendam-se ; todos os outros é que estão enganados que é como aquela mãe que assistindo à parada disse- o meu filho é tão inteligente que só ele está marchando certo ( para a esquerda)!

Sócrates é um homem sério disse...

Sócrates é como a Moulinex: ideias que funcionam!

Anónimo disse...

O deputado regional do partido camarada diz que só com o PS está garantida a televisão pública regional e que, portanto, com estes, pode o país ficar descansado.

Como se não houvesse televisões privadas nacionais e um exército de canais no cabo e como se os portuguêses tivessem muito empenho em conservar um canal público que dá muitos milhões de prejuízo POR ANO!

Como era de prever, os camaradas nada têm a oferecer a não ser um rôl de promessas banha de cobra.

Definitivamente os camaradas entraram em transe!

Anónimo disse...

O dentista grunho anda de cachaço murcho.

Anónimo disse...

Adivinhem qual é o politico açoriano, de fussa avermelhada, que é viciado em bebibas brancas e absinto?

Anónimo disse...

O FMI que não se esqueça da Cãmara de Ponta Delgada...

Anónimo disse...

Sim, sim.Palavra de socialista!

Anónimo disse...

Já agora, no plano do FMI, será que a Ilha de S. Miguel vai ficar com duas Câmaras (as mais importantes): Lagoa e Ribeira Grande?

Arquivo do blogue