30 de maio de 2011

Rotundas

A nova rotunda do Caldeirão (ao contrário de um sem número delas que estão mal pensadas por esta Ilha do Arcanjo fora), está um primor. Importa porém ensinar aos automobilistas micaelenses como usar uma rotunda. Talvez não fosse mal pensado por um sinalinho com este, bem grande e de preferência com o nome dos destinos pintados na faixa de rodagem, a ver se essa gente aprende. É que não há jeito.

9 comentários:

O meu cavalo chama-se Sócrates. disse...

Vou agora tratar do gado.

Vou montado no meu cavalo que se chama Sócrates, em honra ao melhor primeiro ministro português de todos os tempos.

Força Sócrates!

Os ppds vão levar uma cabazada!

Pico da Pedra disse...

Desculpe a pergunta idiota, mas isso que diz no seu artigo está no Código da Estrada?

Nuno Barata disse...

Claro que está no código da estrada e de forma bem clara, com dezenho identico a este. A questão é que eu já vi viaturas de instrução a ensinar a entrar mal numa rotunda.

Nuno Barata disse...

A imagem que está no post faz parte d eum esclarecimento da ex-DGV (pelo visto puco divulgado) a quando da entrada em vigor do novo código da estrada em 2009 e que diz assim:
Tendo em conta as disposições aplicáveis do Código da Estrada, na redacção que lhe foi conferida pelo Decreto-Lei nº 44/2005, de 23 de Fevereiro, constantes dos artºs 13º, nº 1; 14º, nºs 1 a 3; 15º, nº 1; 16º, nº 1; 21º; 25º; 31º, nº 1, c) e 43º e as definições referidas no artº 1º do mesmo Código, na circulação em rotundas os condutores devem adoptar o seguinte comportamento:
1- O condutor que pretende tomar a primeira saída da rotunda deve:
Ocupar, dentro da rotunda, a via da direita, sinalizando antecipadamente quando pretende sair.
2 - Se pretender tomar qualquer das outras saídas deve:
Ocupar, dentro da rotunda, a via de trânsito mais adequada em função da saída que vai utilizar (2ª saída = 2ª via; 3ª saída= 3ª via);
Aproximar-se progressivamente da via da direita;
Fazer sinal para a direita depois de passar a saída imediatamente anterior à que pretende uitilizar;
Mudar para a via de trânsito da direita antes da saída, sinalizando antecipadamente quando for sair.

Nuno Barata disse...

http://www.prp.pt/informacao/actualidades/act_00107_CE_integral.pdf

Anónimo disse...

Não é à regra que está correcta aquilo que pretendo salientar.

O que pretendo é a questão que de certo modo tambem foi referida- o abuso de rotundas- já se sabe que, mais tarde são para destruir, a bem da nação!

Muitas vezes pode-se optar por vias de derivação " paralelas" que permitem maior fluidez de trânsito, ou mesmo por desníveis.

Um exemplo deste "abombe" é a Ribeira Grande- aquilo é preciso ter uma pré disposição para ir para aquela selva de rotundas.

Outro abuso doentio são as lombas.Então faz-se uma estrada nova e, depois? dificulta-se a circulação? Seria o mesmo que fazer uma estrada nova e, depois, abrir um buraco- igualzinho!

Ou seja, as lombas só fazem sentido em aproximação a escolas e hospitais.

No demais,quanto a rotundas e lombas, se não confiam nos condutores ponham radares e já se sabe que ou vai ficar muita gente inibida de conduzir ou a maior parte das pessoas vai circular à velocidade permitida.

Costumo dizer que as lombas e rotubdas estão a tornar-se numa espécie de doença hereditaria dos engenheiros- chiça, circular em São Miguel está a ficar "chato pr'a caraças"!

Anónimo disse...

Eu ando nas rotundas como quero!

Anónimo disse...

Pois é.
A rotunda está tão boa, tão boa, que houve uma velha, que ia na faixa central, que se escanchou por cima do meu carro ontem à tarde, rebentando-me uma porta e arrancando-me o para-choques!

Steinfenix disse...

Uma coisa é "deve" outra é tem. Também devia ser-se menos alérgico á 3ª faixa de dentro, anticipar todas as manobras com sinais e ser tolerante.

Embora a moda das rotundas seja relativamente recente em São Miguel, os condutores mostram-se cada vês mais inteligentes no uso destes equipamentos, destinados a fazer fluir o transito quando devidamente utilizados.

Arquivo do blogue