18 de dezembro de 2013

Ave César

Acabo de ouvir a entrevista de Carlos César à TVI 24, se dúvidas existissem elas dissipar-se-iam hoje. César é um dos melhores políticos portugueses da actualidade. Seria, de facto, um desperdício enviá-lo para Bruxelas.

6 comentários:

Anónimo disse...

As próximas eleições europeias em Portugal vão ser um rotundo desastre.

Anónimo disse...

Carlos César desvaloriza o tótó Seguro, figura que sempre detestou, tenta dividir o PSD e esmicha o CDS-PP do irrevogável Portas.
O que Carlos César quer é o lugar de Seguro, que por razões óbvias, ainda não apetece a António Costa.

Anónimo disse...

Nuno

Para si, um bom político é alguém que palreia bem.

Concordo com o autor do comentário anterior: César ambiciona o lugar de Seguro. César não quer ir para Estrasburgo. Quer ser PM deste país a toda á força. Só que, ao que consta, os sucialistas do continente - com a notável excepção de Costa e da sua ala - não morrem de amores pelo nosso ex-presidente do GRA.
Não deixa de ser irónico: o seu melhor e mais fiel aliado dentro do PS nacional é, também, o único obstáculo entre César e a posição de candidato PS a PM. Situação delicada que só poderá ser resolvida se César for o candidato PS nas próximas eleições presidenciais. César como Presidente da Republica e Costa como PM. Este é o sonho molhado de ambos.
Z

Sid disse...

Antes do facto do socialismo, em Portugal, estar moribundo, há ainda uma grande amálgama de enredos, interesses, poderes mais ou menos ocultos, na politica portuguesa, que é muito distante da realidade Açoriana. Longe vão os tempos da revolução, da luta contra o fascismo, que criou uma rede com ligações a todo o território nacional. Presentemente a politica continental está dominada por motivos e interesses muito distantes de todo o partido socialista português e Carlos César, inteligente que é, tanto sabe disso, como soube sair em grande.

Anónimo disse...

Morreu quem aqui morou
Espero de morte natural
Porque se alguém o matou
Deve ir a tribunal.

Talvez seja o face-book
O autor, o assassino
E tenha usado um truque
Apagando o seu caminho.

Deve ficar na cadeia
Masmorra para ele feita
Nem sei onde veio a ideia
Para tal ato ou maleita.

Que em campa rasa se ponha
A escrita efémera usada
Adornada com tristonha
Fechadura acorrentada.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Arquivo do blogue