11 de março de 2014

Nunca é demais lembrar

Pra se ser Açoriano
É preciso aqui nascer
Ou então viver a vida
Pra saber aqui morrer
 



Maria da Graça Câmara 

5 comentários:

Anónimo disse...

E para ser português
É preciso nascer aonde ?
No cú de judas talvez!
Ou onde a mãe o esconde.

Grande treta e confusão
Está do povo genuíno
Passa fora ingratidão
De quem só, é pequenino.

Anónimo disse...

Caro Barata
As ideias absolutas são tão vagas que no seu seio cabem tudo ou nada, dizer que é necessário nascer nos Açores para ser Açoriano é uma verdade que pode dizer que estamos a considerar uma qualidade jurídica dos nascidos nos Açores, em serem Açorianos, como nos pode transmitir uma certa segregação entre os que nascem nos Açores e os que não...
Todas estas frases fazem e têm pouco sentido e quanto muito podem reinventar todos os males que teve a opção de independência dos Açores de 1975...
Uma opção pela independência dos Açores é antes de mais uma questão de liberdade de pensamento, todas as ideias devem poder ter curso livre para se revelarem.
Optar ou não pela independência dos Açores não é uma questão de mais ou menos amor pela terra, nem tão pouco a questão do lugar que se nasce, dentro e fora dos nascidos nos Açores existe gente que ama e que detesta os Açores, a opção de escolha dum Governo dos e nos Açores, deve atender muito mais a outros assuntos como a possibilidade de governar melhor separados do contexto de Portugal.
Encarnar a questão da independência despido do preconceito do nascimento é uma garantia, para que a questão séria do bom ou má governo, seja desviada pela guerra inevitável do lugar de nascimento.
A autonomia teve aspectos positivos, mas não foi capaz de desviar a dúvida da má governação que assolou de igual maneira o governo central e o Regional, por isso é necessário colocar outro empenho na questão do governo para os Açores, para que tudo não passe duma questão mais ou menos "folclórica" com contorno negativos incontroláveis.
Açor

Anónimo disse...

Caro Barata
Queria dizer,no antepenúltimo paragrafo que "... não seja desviada..." e não"... que seja desviada..."...
Para acrescentar, resta dizer que os conceitos amar na politica são conceitos vagos e indeterminados, necessitam de ser explicitados, pois não são facilmente apreendidos, que significa amar em Politica?
Açor

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Arquivo do blogue